ProInfo, user multiplication and saving energy

The ProInfo project has just released version 3 of Linux Educacional, their Linux-based distribution bundled with computer labs for public schools in Brazil. This version has several new items, including a new EduBar (Java-based) and lots of content, 20GB of videos, text and animations. It is also built on top of Kubuntu 8.4, where previous versions used Debian. It is too early to tell how this will impact the project, but I find it positive that the team is evaluating different technologies, at least. Desktop is of course our beloved KDE 3.5, as development of this version started 8 months ago. I look forward for the day where we will have a KDE 4.2 or 4.3-based Linux Educational, and the team starts experimentation with plasmoids and other technologies introduced in our project, but I am happy they are apparently delivering on what was promised last year.

Before commenting about the technical choices, I would ask people to download the ISO, and give it a spin. It can be found here. Notice that burning instructions are given for K3B, nice 🙂

I blogged about this project before here. One characteristic of the project I find interesting is their use of hardware and software to drive up to 10 different desktops from a single CPU. And no, this is not virtualization, and not a thin-client based solution as well. You can get more information about it from here . From my tests it seems to work nicely, and the station just "feels" like a normal terminal. So they are multiplying users (30,000 labs have already been delivered according to the latest info) , but not multiplying the emissions at the same rate, thankfully. According to  this blogger the technology saves up to 80% of emissions, which is backed by numbers at the Userful site. Still according to him, and considering the project’s goal of 356.800 stations, this saving is equal to 170,000 tons/year in carbon emissions, or the same as 28,000 cars.

This of course is super cool! I mentioned in my talk at Akademy 2008 that sharing a single CPU was the only way to provide labs to rural schools, as the electrical wiring was simply not capable of supporting 10 full machines turned on at the same time on remote locations. But I had not considered the emissions problem. So kudos to the team, as they are apparently on track in their "multiply users without multiplying energy consumption" goal.

[pt_BR}
O projeto ProInfo acabou de lançar a versão 3 do Linux Educacional, a distribuição deles baseada em Linux e instalada nos laboratórios de informática das escolas públicas brasileiras. Esta versão tem diversos itens novos, incluindo uma nova EduBar feita em Java e muito conteúdo (20GB de vídeos, textos e animações). Esta versão usa como base o Kubuntu 8.4, enquanto as versões anteriores usavam o Debian. É muito cedo para dizer como isto vai afetar o projeto, mas eu acho positivo que o time de desenvolvimento esteja olhando para diferentes tecnologias, é um bom sinal. O desktop é claro o nosso amado KDE 3.5, já que o desenvolvimento começou oito meses atrás, no mínimo. Eu aguardo com ansiedade o dia em que eles vão disponibilizar um Linux Educacional baseado no KDE 4.2 ou 4.3, quem sabe com o time experimentando com plasmoids e outras tecnologias novas no nosso projeto, mas por enquanto estou feliz com o fato de eles estarem aparentemente entregando o que foi prometido no ano passado.

Antes de comentar as escolhas técnicas, eu pediria para as pessoas baixarem a ISO, e usarem um pouco. Pode ser baixada aqui. Notem que as instruções para queimar o CD são para o K3B, legal 🙂

Eu falei sobre este projeto antes, aqui. Uma característica interessante é o uso de hardware e software para suportar até 10 desktops diferentes com uma única CPU. E não, isto não é virtualização, e também não é uma solução baseada em thin-clients. Mais informações estão disponíveis aqui  Nos meus testes parece funcionar muito bem, e a estação se comporta como um terminal comum. Então, eles estão multiplicando usuários (30.000 laboratórios já entregues), mas não estão multiplicando as emissões de carbono no mesmo ritmo, felizmente. Leiam mais  neste blog : a tecnologia pode economizar até 80% das emissões, compatível com o que está no site da Userful. Ainda de acordo com o autor do blog, e considerando o objetivo de 356,800 estações do projeto, essa economia equivale a 170.000 tons/ano em emissões de carbono, o equivalente a 28.000 carros.

Isso é bem legal. Eu mencionei na minha palestra na Akademy 2008 que compartilhar uma CPU única era a única maneira de se colocar laboratórios em algumas escolas rurais, já que a fiação elétrica não suportava 10 máquinas ligadas ao mesmo tempo. Mas eu não tinha pensado sobre a economia de energia. Parabéns à equipe do CETE, já que eles aparentemente estão conseguindo manter o objetivo de multiplicar os usuários, sem multiplicar os gastos de energia.